fbpx

O MERCADO DE TRABALHO

O mercado de trabalho é uma expressão utilizada para se referir as diversas formas de trabalho que possam existir, sendo remunerados de alguma forma, seja trabalho manual ou intelectual ou trabalhos não remunerados que são os trabalhos utilizados com a responsabilidade social. No mercado de trabalho existem duas classificações de emprego: o emprego formal e o emprego informal. Um dos principais fatores que levam ao aumento significativo do emprego informal são as crises econômicas, que implicam muitas vezes no emprego autônomo da população.

O desemprego é outra característica do mercado de trabalho, quando a quantidade de vagas oferecidas é menor que o número de pessoas para exercerem as tarefas de um emprego. O mesmo pode ocorrer de outras formas, como o desemprego conjuntural e o desemprego estrutural. O desemprego conjuntural é o associado as crises econômicas, em que há baixo crescimento econômico, tendo quedas na produção, nas vendas, ou até mesmo devido problemas naturais como secas e enchentes, tão comum nesta época de verão, interferindo na produção do setor primário, causando demissões da população que trabalha nesses ramos.

A consequência natural do crescimento do trabalho informal é que a pessoa ter que se “virar”, usando a sua criatividade para seu sustento e sustento da sua família.

A economia informal sustenta uma parcela da população mundial que por falta de oportunidades de emprego passa a viver à margem da formalidade. É considerada parte integrante da população economicamente ativa.

O emprego informal é aquele no qual a pessoa trabalha sem condições regulamentadas pelo governo, ou seja, é aquele em que não há vínculo empregatício, o trabalhador não possui registro em carteira, nem usufrui dos benefícios que lhes são de direito, como FGTS, direito à licença maternidade, auxílio do governo em caso de desemprego. São incluídas nessa situação as pequenas empresas que não pagam taxas e impostos. Também é chamado de subemprego.

As atividades realizadas pelo emprego informal estão presentes no setor terciário da economia e podem ser classificadas como prestação de serviços. O trabalho desse setor informal basicamente se resume ao comércio nas ruas e pequenos negócios (firmas) sem registro.

São muitos os tipos de empregos informais: vendedores ambulantes, camelôs, feirantes, lavadores de carros etc. Também são exemplo os trabalhadores que não possuem registro, tais como: pedreiros, encanadores, eletricistas, etc.

Esse setor econômico teve um crescimento muito grande nos últimos anos em razão do aumento da taxa de desemprego em diversos países, sendo, portanto, reflexos de uma economia globalizada.

Outros fatores contribuíram para o crescimento desse setor, como a substituição do trabalhador pela máquina na mecanização das lavouras e na informatização das indústrias. Assim como o aumento da carga tributária, que fez com que várias pequenas empresas e comércios deixassem de ser formais e passassem a ser informais, não pagando mais impostos ao governo.

Na nossa próxima publicação falaremos sobre a solução para o crescimento do emprego informal e alternativas para o desemprego.

Sérgio Rocha Lima – Consultor, mentor e professor

www.rochalimaconsultoria.com.br