fbpx

A crise econômica que o Brasil vem enfrentando impactou diretamente no mercado de trabalho. Para você ter uma ideia, são mais de 27 milhões de brasileiros desempregados em 2018, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com uma taxa de desempregos alarmante e uma necessidade de continuar provendo o sustento da família, o mercado informal tende a crescer. A mesma pesquisa revela que, só no Rio de Janeiro, a informalidade já cresceu mais de 7% em um ano.

Diante desse cenário, ocorreram algumas transformações cujos impactos serão vistos adiante. Entenda como o mercado informal afeta não só os indicadores, mas a vida do trabalhador e do empreendedor. Continue lendo!

 

Perda de direitos trabalhistas

 

Trabalhadores do mercado informal que não têm uma boa educação financeira acabam não se preocupando com um futuro iminente: a aposentadoria.

Quando se é um funcionário formalizado, a contribuição do trabalhador para o INSS e o FGTS já é descontada automaticamente do salário. Porém, no mercado informal não há essa garantia e o trabalhador precisa contribuir como autônomo para garantir uma base para o futuro.

 

Aumento do número de trabalhadores por conta própria

 

Os trabalhadores por conta própria abrangem dois grupos de profissionais: os prestadores de serviços e os liberais – esses últimos você também conhece como empreendedores.

O Rio de Janeiro registrou em 2018 um recorde dessa modalidade de trabalho, por conta do fechamento de 150 mil postos de empregos formais. Se recolocar no mercado tem sido cada vez mais difícil e os profissionais sentem o peso da desvalorização.

Em consequência disso, a busca por um trabalho formal deu lugar aos projetos pessoais e às tentativas de empreender com pouco dinheiro, o que levou o Rio de Janeiro à sexta posição no Índice de Cidades Empreendedoras (ICE) da Endeavor.

 

O empreendedorismo como solução

 

Como você leu acima, empreender tem sido a saída de muitos brasileiros para contornar a crise.

A parceria e os novos negócios entre empreendedores já vêm trazendo diversos benefícios para empreendimentos de diversos tamanhos, buscando também resgatar a economia do Rio de Janeiro e do Brasil.

Portanto, se você tem uma ideia de negócio, que tal tirá-la do papel, buscar parcerias e começar aos poucos a projetar sua independência financeira e retomar sua vida fugindo da crise?

 

 

Publicitário, CEO da RPMR Marketing e Eventos. Apaixonado por políticas sociais e entusiasta do empreendedorismo, está disposto a fazer a diferença no cenário carioca com seus projetos.

%d blogueiros gostam disto: